segunda-feira, 23 de abril de 2018

Primeiras impressões | Um brinde de cianureto

Olá, mergulhadores!

Hoje é dia de mostrar a vocês quais foram as minhas primeiras impressões ao ler o comecinho de Um brinde de cianureto, livro da querida Agatha Christie. Vamos lá!



O que estou achando de Um brinde de cianureto?


Já deu para sentir a atmosfera da trama só com a leitura do primeiro capítulo. Algo muito interessante é que a morte de Rosemary Barton, que dá início a todo o mistério, aconteceu há mais ou menos um ano. O livro começa com uma retrospectiva a partir da visão de Iris Marle, irmã da aniversariante assassinada.

Inicialmente, achei que Iris era o “patinho feio” da família e que, por isso, sentia inveja de Rosemary — eu logo a coloquei no topo da lista de suspeitos. No entanto, algumas páginas depois, ela se mostra como uma jovem frágil, que ainda está aprendendo a lidar com a morte da irmã. Resta aguardar os desdobramentos!

Qual trecho resume as minhas primeiras impressões?


O ponto-chave de Um brinde de cianureto está nas relações que Rosemary tinha com as pessoas que estavam no aniversário dela. Tudo indica que ela cultivou algumas inimizades. Separei um trecho para resumir essas primeiras impressões:

“E quanto mais penso a respeito mais tenho certeza de que há alguma coisa suspeita. Foi por isso que lhe fiz todas aquelas perguntas: se Rosemary tinha inimigos, se alguma coisa que ela disse pode ter soado como se estivesse com medo de alguém. Quem quer que a tenha matado deve ter tido um motivo.”.

É muito cedo para tirar conclusões, principalmente por se tratar de uma obra de Agatha Christie. Porém, as primeiras impressões de Um brinde de cianureto foram positivas. Tenho boas expectativas para o restante do mergulho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.