quarta-feira, 29 de outubro de 2014

[Mergulhei Fundo] - A vida que ninguém vê

Título: A vida que ninguém vê


Autor(a): Eliane Brum


Editora: Arquipélago Editorial


Ano: 2006


Nº de páginas: 208


“Porque uma frase só existe quando é a extensão em letras da alma de quem a diz. É a soma das palavras e da tragédia que contém. Se não for assim, é só uma falsidade de vogais e de consoantes, um desperdício de som e de espaço”. (p. 36)

No ano de 1999, Eliane Brum publicou suas crônicas-reportagens na coluna “A vida que ninguém vê”, no jornal Zero Hora. Com o sucesso, seus textos acabaram virando essa obra maravilhosa que tive o prazer de ler. A repórter, ávida por narrativas que não ganham destaque nos jornais, fez um mergulho no interior de pessoas anônimas e contou suas histórias.

Aparentemente, aquelas pessoas não tinham nada de extraordinário para dizer. Seus relatos não ganhariam sequer uma nota no canto da página do jornal, mas, tratando-se de Eliane Brum, a vida mais corriqueira pode se transformar em uma reportagem capaz de amolecer até o mais duro dos corações. 

“Sim, porque sonhos não se encontram nas prateleiras, não basta atirar o cartão de crédito no balcão e sair com um debaixo do braço. Sonhos são touros xucros”. (p. 132)

As crônicas que eu mais gostei, foram: Adail quer voar, que traz a história de um homem que trabalha como carregador de malas em um aeroporto, mas nunca voou; e Sinal fechado para Camila, com o relato emocionante sobre uma pedinte que fazia pequenos versos para pedir uns trocados.

“Uma vida só faz sentido para quem a viveu. Para todos os demais é um quebra-cabeça onde nada encaixa”. (p. 161)

A leitura foi bem rápida. As crônicas são curtas e a autora escreve de um jeito tão perfeito, que nem percebi que tinha acabado de ler. Sabe aquele livro que faz a gente olhar o mundo de uma forma diferente? A vida que ninguém vê é assim. Por isso, falo sem medo: todo mundo precisa ler esse livro.

Então, quem já leu? O que acharam? Deixem comentários. Até a próxima! 



2 comentários:

  1. Oi Ygo!
    Não conhecia esse livro, mas as crônicas parece ser interessantes mesmo! Ás vezes tem histórias incríveis acontecendo no mundo real, só esperando para serem escritas.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sora.
      É verdade. Incrível também é a sensibilidade dessa autora. Recomendo muito o livro.
      Beijos!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.