domingo, 31 de agosto de 2014

[Mergulhei Fundo] - ...Penso, logo insisto...

Título: ...Penso, logo insisto...


Autor(a): Luciana Dias


Editora: Aquariana


Ano: 2012


Nº de páginas: 152



“Queria traduzir sentimentos com palavras jogadas aleatórias nas linhas quebradas por pontos, vírgulas e exclamações”. (p. 20)

Descompromissado. Esta é uma boa palavra para definir o livro da jornalista Luciana Dias. A obra é um apanhado de textos que estavam em um blog da autora: o SINCERÃO. São pensamentos, histórias de bastidores da sua profissão, viagens pelo Brasil, romances fracassados, entre outros assuntos. 

Luciana empregou muito bem as crônicas para transformar coisas simples em algo extraordinário e profundo. Sua sensibilidade e seu alto grau de percepção estão presentes em cada linha que escreveu. É preciso sentar e apertar bastante o cinto para fazer essa “viagem”, que passa por vários estados do país. A narrativa mostra que Luciana não quer viajar sozinha, mas sim na companhia de seus leitores.

“Brincar com palavras, com fatos, com a vida... não levar nada muito a sério, a não ser que seja realmente sério... caminhar muito, sorrir mais... ter menos expectativas, mas nem por isso menos sonhos...”. (p. 49)

O melhor momento da leitura foi quando a autora falou sobre o seu grave acidente de ônibus. Ser uma pessoa inquieta, ativa e aventureira, foi fundamental para a sua recuperação. Além disso, o seu amor pela profissão ficou evidente. Embora não estivesse totalmente recuperada, Luciana queria trabalhar, viajar, conhecer gente e contar histórias. A sua volta por cima é inspiradora.  

“Amar sem perdão não funciona, mas perder-se nesse perdão é a fome que a alma nos faz relembrar”. (p. 67)

Leitura rápida e prazerosa. Um livro que me fez pensar muito. Recomendo!



domingo, 24 de agosto de 2014

#Resenha: "Cinquenta tons de liberdade"

Título: Cinquenta tons de liberdade

Autor(a): E. L. James

Ano de lançamento: 2012

Editora: Intrínseca

Nº de páginas: 544


< pode conter spoiler >


# A história

Depois da montanha-russa de sentimentos que caracterizava a relação entre Ana Steele e Christian Grey, eles finalmente conseguiram se acertar e agora parecem levar uma vida perfeita. No entanto, em meio à riqueza, paixão e planos para o futuro, o casal precisa enfrentar os fantasmas do passado e ultrapassar os obstáculos que o destino lhes reserva.

 Eles eram de mundos muito diferentes quando se conheceram. Mas, depois do primeiro encontro, a vida deles mudou para sempre, pois Christian viu em Ana a figura de uma submissa pronta para satisfazer as suas exigências sexuais.

Mergulharam de cabeça em um tórrido relacionamento, mesmo sabendo das dificuldades que enfrentariam para se ajustar ao mundo um do outro. Agora, chegou o momento da solidez dessa união ser colocada à prova: o casal terá que lutar pela liberdade de amar. Uma liberdade que se apresenta em cinquenta tons.

# Opinião

Assim como nos outros livros, encontrei pontos positivos e negativos no decorrer da leitura. Primeiramente, vou pontuar o que não me agradou em Cinquenta tons de liberdade.

Eu começo pelo tamanho dos capítulos e pelo detalhamento de cenas pouco importantes para o desenvolvimento da história. Achei alguns trechos realmente cansativos. A autora utilizou páginas e mais páginas para descrever ações como tomar café da manhã e se vestir. Eu prefiro capítulos mais curtos e objetivos, pois a leitura flui melhor e chego ao final do livro sem perceber que li tantas páginas.

Mais uma questão incômoda foi que a narrativa não “relembrou” alguns fatos dos outros livros. O intervalo de tempo entre a minha leitura do segundo livro e do último, foi muito grande. Então, senti dificuldade para me situar novamente no universo do casal Grey. Pequenas explicações e até mesmo flashbacks teriam ajudado os leitores que, assim como eu, não leram o terceiro livro logo após terem concluído o segundo.

O comportamento tolo da protagonista também me desagradou. Na verdade, isso me incomodou em praticamente toda a trilogia. Eu achei muito forçado o fato de alguém ter vivido tantas experiências e, mesmo assim, ter amadurecido tão pouco. Ana continuou se fazendo perguntas bobas e pensando como uma adolescente.

Para encerrar, os momentos de suspense e tensão, que poderiam ter sido mais bem explorados, não empolgaram. Faltou inspiração na narrativa de E. L. James para me transportar para o cenário de perigo que ela propôs.

Agora, vamos aos pontos positivos do livro.

Gostei das tramas que se desenvolveram além das cenas picantes. Claro que elas ainda estavam presentes, mas perderam espaço e novos acontecimentos tiveram destaque. A autora conseguiu dosar melhor o lado hot do livro com os fatos que cercavam a vida dos protagonistas fora da cama.

O que também me agradou na história foi ter acompanhado um Christian Grey mais humano. Desta vez, a autora mostrou um lado do personagem que me fez considerar a ideia de ele existir de verdade, porque nos outros volumes isso foi praticamente impossível. Até ler este último livro, eu o achava irreal demais.

Por fim, gostei da forma com que E. L. James encerrou a jornada do casal protagonista, através de um “bônus” no final do livro. Quando eu cheguei às últimas páginas, estava meio insatisfeito com o rumo que a história havia tomado, mas essa sacada da autora me fez mudar de opinião e eu curti o desfecho que ela deu.

# Extra

Recomendado apenas para maiores de 18 anos, por se tratar de conteúdo erótico. Deixe o seu comentário.



quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Acróstico: EU AMO LER

Olá, mergulhadores!

Hoje eu venho postar uma lista em forma de acróstico, com a frase EU AMO LER. Espero que vocês gostem! 


E – Elite da Tropa (Luiz Eduardo Soares; André Batista e Rodrigo Pimentel)

Elite da Tropa também foi o livro que eu escolhi para iniciar a coluna “Mergulhei Fundo” aqui no blog há alguns meses. Nunca assisti ao filme Tropa de Elite, então não posso fazer comparações. Confesso que senti um pouco de revolta com algumas situações descritas no livro, mas no geral foi uma leitura positiva. Gostei do modo como a história foi contada, com uma narrativa simples, bem crua mesmo.

Mergulhei Fundo - clique aqui.




U – Um Dia (David Nicholls)

Quando eu terminei de ler o livro Um Dia, estava meio confuso. Não que eu tenha odiado a história, pelo contrário. Acontece que a escrita do autor e a forma como a trama se desenrola mexeram comigo. Depois que eu me envolvi com as histórias dos protagonistas, a leitura se tornou muito prazerosa. Além disso, o toque de ironia que o autor inseriu fez toda a diferença.

Resenha - clique aqui 




A – Anjo da escuridão (Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe)

Sabe aquele livro arrebatador? É isso que eu posso dizer de Anjo da escuridão. Esse livro entrou para a minha lista de favoritos por um tapete vermelho. Fiquei preso na história do início ao fim. Cada capítulo termina com um gancho perfeito, que te faz virar a página imediatamente para acompanhar o capítulo seguinte. Um livro intenso, ágil, repleto de suspense e de mistério. 

Resenha - clique aqui.




M – Mentes perigosas: o psicopata mora ao lado (Ana Beatriz Barbosa Silva)

Eu li esse livro há alguns anos. A psicopatia é um tema que me desperta curiosidade e a leitura de Mentes perigosas me permitiu compreendê-lo um pouco mais. É um livro excelente, feito por quem entende do assunto. A autora explica as características dos psicopatas, dá dicas que nos ajudam a identificá-los na sociedade, analisa casos de psicopatia que ganharam destaque na mídia, entre outros pontos.

Relacionado - clique aqui.



O – Olga (Fernando Morais) 

Olga é um livro-reportagem fantástico. Eu o li por causa da faculdade e gostei tanto que fiz uma série especial sobre ele aqui no blog. A obra foi construída a partir das investigações do autor e é admirável acompanhar todo o trabalho que ele teve para apurar as informações para escrever o livro. Além de ter um grande valor jornalístico, é um livro rico do ponto de vista literário e histórico.

Especial - Parte 1/Parte 2/Final.




L – Ladrão de Almas (Alma Katsu)

Ladrão de Almas foi um dos livros que mais me surpreendeu positivamente até hoje. Eu o deixei esperando na estante por muito tempo, pois não era o tipo de livro que eu estava acostumado a ler. Quando eu finalmente dei uma chance a ele, não me arrependi. A história é bem envolvente e a escrita da autora é tão boa que eu cheguei ao final do livro querendo mais.

Resenha - clique aqui.




E – Encontro com a morte (Agatha Christie)

Encontro com a morte já foi citado em uma lista de livros que eu li, mas não fiz resenha aqui no blog. Ainda hoje, ele é um dos meus livros favoritos da Rainha do Crime. Embora eu o tenha lido com muita atenção, não consegui acertar a identidade do assassino. As pistas estavam lá o tempo todo, mas quando se trata de Agatha Christie, os mínimos detalhes são importantíssimos.

Relacionado - clique aqui.





R – Romeu Imortal (Stacey Jay)

Romeu Imortal é a continuação do livro Julieta Imortal. O mais interessante é que a autora desconstruiu a história de William Shakespeare e criou uma versão completamente diferente da obra original. Fiquei meio balançado com o primeiro livro, mas o segundo me ganhou. A leitura foi rápida e prazerosa. Mais um livro que não se encaixa no meu estilo e que eu apreciei bastante.

Resenha - clique aqui.




É isso, galera. Façam os acrósticos de vocês também. Até a próxima! 

Vídeo: 12 coisas que os leitores nunca dizem.


quarta-feira, 6 de agosto de 2014

[Parceria] - Alma Cervantes

Olá, mergulhadores!

Conheçam agora o novo parceiro do blog, Alma Cervantes. Ele é autor do livro "Se arrependimento matasse". Confiram!

Sinopse:

Alex, Alice e Rebeca são grandes amigos e decidem se reencontrar depois de alguns anos sem se verem. O lugar escolhido é o hotel dos pais de Alex, mas o que parecia uma viagem especial, repleta de conversas agradáveis e descontraídas com os outros hóspedes durante o jantar se transforma, em seguida, num pesadelo. Quando os três se preparam para dormir, ouvem batidas desesperadas à porta e seguem ao salão, onde logo descobrem que o cozinheiro fora assassinado. Com a comoção, somada à dificuldade de fuga devido à tempestade e névoa lá fora, a confusão logo se instala no hotel, além de um desagradável clima de suspeita entre os hóspedes.



Sobre o autor:
Exemplar autografado pelo autor

Alma Cervantes é admirador da Língua Portuguesa desde a infância e grande fã dos romances policiais de Agatha Christie. Faz sua estreia na literatura com este romance, Se Arrependimento Matasse.

Acompanhe:


E-mail para compra direta com o autor:

almacervantes@outlook.com.br 



domingo, 3 de agosto de 2014

#ESPECIAL: Olga - Final

Olá, mergulhadores!

Espero que vocês tenham gostado da série especial sobre o livro Olga. Hoje nós temos a última parte. Confiram a primeira (aqui) e a segunda (aqui). Agora vamos encerrar o nosso mergulho com chave de ouro?


A habilidade do autor com as palavras supera o domínio do texto jornalístico. Ele rompe as barreiras da objetividade do jornalismo tradicional e constrói a obra sob uma perspectiva subjetivista. O livro possui uma narrativa intensa, cada cena é descrita detalhadamente e alguns diálogos são reproduzidos por inteiro. Além disso, as fotografias e os documentos a que o autor teve acesso ajudam a elucidar a história.