quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

[Parceria] - Bianca Gulim

Olá, 

O ano está terminando com novidades por aqui. Venho apresentar a vocês a nova parceira do blog. Conheçam a Bianca Gulim, autora do livro Sobreviventes do Caos, o primeiro da trilogia 2323. 

Sinopse: 

Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes. Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada. Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor. Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio? Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!

Sobre a autora:

Bianca Gulim tem 26 anos, nasceu e mora em São Paulo. Formada em Administração, com especialização em Recursos Humanos, hoje se dedica totalmente à escrita. Sempre foi leitora voraz de ficção e fantasia, com uma forte tendência a sagas distópicas e vampirescas. Começou a escrever seu primeiro livro – 2323: Sobreviventes do Caos – em 2015, quando descobriu sua vocação para escritora. Já está produzindo o segundo livro da série 2323 e não pretende parar tão cedo.







quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Túnel do Tempo: A Menina que Roubava Livros

Olá, mergulhadores!

O post de hoje é um pouco diferente. Venho mostrar a vocês o caderno especial de um jornal impresso da cidade onde eu moro. A edição foi para as bancas no dia 30 de janeiro de 2014, mas eu a encontrei por acaso há algumas semanas e decidi compartilhar aqui.

A capa, como vocês podem ver na foto abaixo, foi dedicada à estreia do filme A Menina que Roubava Livros (31/01/2014), baseado no best-seller de Markus Zusak. O caderno destaca a expectativa de uma grande estreia do início daquele ano em todo o Brasil.

“Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler”
E eles acertaram.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

#Resenha: "Meu irmão, meu herói"

Título: Meu irmão, meu herói

Autor: Edson Kazienko do Carmo

Ano de lançamento: 2016

Editora: Multifoco

Nº de páginas: 198


# A história

"Façam do amor uma lição de vida".

Estefano e Alexandre são dois irmãos que ficaram órfãos na Segunda Guerra Mundial quando Hitler invadiu a Polônia e destruiu milhares de famílias. Movidos pela esperança e pela inocência, eles vão à procura de um tio que vive em uma cidade que fica a mais de 400 quilômetros de onde eles estão.

Os irmãos encontram pelo caminho algumas pessoas que tentam ajudá-los ou machucá-los. No fim das contas, o que seria uma longa jornada para encontrar um parente distante, acaba se transformando em uma luta pela sobrevivência.

# Opinião

O prefácio da obra situa os leitores. O autor faz um resumo sobre as atrocidades da Segunda Guerra para contextualizar e encorpar a trama. Além disso, Kazienko pontua questões muito interessantes como a importância do amor e da família, principalmente nos momentos de dificuldades.

A história é narrada em primeira pessoa pelo velho e sofrido Alexandre Kamarks. Apesar de não se lembrar das atividades que realiza corriqueiramente, o personagem tem recordações muito nítidas sobre os horrores da guerra. Cheguei a levantar a hipótese de que ele sofre de Alzheimer, pois ter essas lembranças do passado é uma das características da doença.

Durante uma reunião familiar, ele resolve abrir o jogo com todos. A plateia é formada pela esposa, filhos e netos. Vocês se lembram do filme Titanic? É um flashback bem parecido com aquele. A volta do protagonista à infância preenche todo o livro.

Acredito que o resultado seria mais interessante se o autor tivesse intercalado a narrativa do passado com a do presente, até para dar uma função aos parentes do personagem principal, que só foram citados no início e no fim do livro. Assim, o leitor também acompanharia as reações deles com o que estavam ouvindo. Acho que isso tornaria o relato mais humanizado e emocionante.

De modo geral, o clima da história é bem pesado. No entanto, Kazienko soube trilhar um caminho para quebrar um pouco a densidade do livro. Os dois irmãos sofrem muito durante a saga para encontrar o tio, mas também encontram pelo caminho pessoas acolhedoras. Em alguns momentos, é possível esquecer aquele contexto de guerra e embarcar nas aventuras dos personagens.

O ritmo do livro também é algo que vale a pena destacar. O autor traz muita história. Que adrenalina! Outro ponto positivo é a divisão dos capítulos. É que eles têm vida própria, ou seja, apresentam início, meio e fim, delimitando os acontecimentos que formam o todo da obra. Isso facilita bastante a vida do leitor, que pode dividir a leitura em blocos para absorver a história aos poucos.

Agora, vamos falar sobre os aspectos negativos. Primeiramente, o livro merece uma revisão, pois há erros graves de português. Além disso, o texto tem frases e parágrafos muito longos e o autor abusa das vírgulas  eu sou apaixonado por ponto final e orações curtas, pois fazem a leitura fluir melhor.

No mais, achei o mergulho maravilhoso. Deem uma chance ao livro de Kazienko e à literatura nacional. Até a próxima!


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Livro novo na estante!

Oi, mergulhadores!

Chegou um livro novo para a minha estante há algumas semanas, mas só agora tirei um tempinho para mostrá-lo a vocês. O livro O Vestido Cor de Pêssego, da autora Rosania A. Stival, veio diretamente de Fátima - Portugal. É o primeiro volume de uma série chamada Hussardos e Dragões. Já postei aqui uma entrevista com a autora e já contei mais detalhes sobre a obra aqui

A autora e eu vínhamos "trocando figurinhas" pelo Facebook há meses. Ela disse que me mandaria um exemplar do primeiro livro da série e eu fiquei muito empolgado. Certa vez, ela me disponibilizou o prólogo e um trecho do primeiro capítulo. De cara, já adorei o aperitivo. Tive que trabalhar minha ansiedade, pois o livro estava vindo de Portugal. Confesso que cheguei a pensar que nunca chegaria, mas finalmente estou com o exemplar em mãos. Obrigado, Rosania!

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

#FLASHES: Bate-papo com Jenny Costa

OI OI OI, mergulhadores!

O post de hoje é um bate-papo com Jenny Costa sobre fotografia. Vamos lá?

Jenny Costa Fernandes (instagram.com/jennycostaf)

Nasceu em Aracati-CE

02 de setembro de 1993

Estudante de Arquitetura e Urbanismo



segunda-feira, 7 de novembro de 2016

A magia dos sorrisos e risadas - Final

Oi, mergulhadores!

Hoje venho mostrar a terceira e última parte da série sobre a magia dos sorrisos e risadas, presente no livro Desvendando os segredos da linguagem corporal, de Allan & Barbara Pease. Quem perdeu a segunda parte, pode clicar aqui e conferir.

Cinco tipos comuns de sorriso

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

A magia dos sorrisos e risadas - Parte II

OI OI OI, mergulhadores!

É hora de continuar falando sobre a magia dos sorrisos e risadas, tendo como base o capítulo 3 do livro Desvendando os segredos da linguagem corporal, de Allan & Barbara Pease. Confiram o post anterior clicando aqui.



O riso levado a sério

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A magia dos sorrisos e risadas - Parte I

Olá, mergulhadores!

No post de hoje, falarei sobre a magia dos sorrisos e risadas, que está presente no terceiro capítulo do livro Desvendando os segredos da linguagem corporal, de Allan & Barbara Pease. Destaquei os tópicos que considerei mais interessantes. Acompanhem!

Título: Desvendando os segredos da linguagem corporal

Autor(es): Allan & Barbara Pease

Ano de lançamento: 2005

Editora: Sextante

Nº de páginas: 272 / Capítulo 3: 54-69



segunda-feira, 17 de outubro de 2016

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

#CONTO: João e Zé ninguéns

Foto: poracaso.com
Zé  fez o mesmo ritual de todas as noites. Bateu o papelão contra a parede para tirar a poeira, como se isso fosse deixá-lo menos sujo. Sacudiu um surrado pedaço de pano, que lhe servia de lençol desde que foi morar na rua, quando a mulher o expulsou por causa da bebida. Hora de deitar em sua cama de papel. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Comprei na Bienal do Livro de São Paulo 2016

Olá, mergulhadores!

Como eu tinha prometido, vou mostrar a vocês os livros que comprei na Bienal do Livro de São Paulo. Em outro post, publicado há 84 anos, eu falei que fui para comprar livros relacionados a jornalismo, meu carma minha paixão. Vejam como eu me saí.



~ por ordem alfabética ~

1 – A primavera do dragão


Esse livro de Nelson Motta, publicado pela Editora Objetiva em 2011, é o retrato vivo do cineasta Glauber Rocha, que liderou uma geração ousada, abusada e transgressora da década de 1960.

Quanto: R$ 10,00

2 – A tragédia de Eloá


Publicado em 2008 pela Editora Landscape, o livro conta o caso Eloá, o mais longo sequestro em cárcere privado já registrado pela polícia brasileira. O autor da obra é o repórter Marcio Campos, da Rede Bandeirantes, que acompanhou o caso na época.

Quanto: R$ 5,00

3 – Corta pra mim


A Editora Planeta publicou em 2013 esse livro do jornalista Marcelo Rezende, que conta histórias de bastidores de grandes investigações ao longo de mais de 40 anos de carreira do autor.

Quanto: R$ 10,00

4 – Emboscada no Forte Bragg


Nessa obra de ficção do jornalista Tom Wolfe, publicada originalmente em capítulos na revista Rolling Stone, a proposta é discutir os limites do jornalismo e da ilusão em um telejornal de uma poderosa rede de televisão americana. Aqui no Brasil, o livro foi publicado em 1998 pela Editora Rocco.

Quanto: R$ 5,00

5 – Jornalismo em “tempo real”


A proposta desse livro da jornalista Sylvia Moretzsohn é fazer uma crítica baseada na promessa do jornalismo de dar a “verdade em primeira mão”. A publicação da obra foi em 2002, pela Editora Revan.

Quanto: R$ 10,00

6 – O estilo magazine


O jornalista Sergio Vilas Boas oferece ao leitor uma visão sobre as possibilidades de escrita em jornalismo impresso. Nesse livro publicado em 1996 pela Summus Editorial, o autor trata das especificidades do texto em revista.

Quanto: R$ 10,00

7 – Vale-tudo da notícia


Essa obra de 2016, publicada pela Editora Intrínseca, mostra o trabalho investigativo do repórter Nick Davies, que descobriu uma série de crimes e corrupção que afetava boa parte da imprensa britânica, atingindo até o gabinete do primeiro-ministro e o alto escalão da Scotland Yard.

Quanto: R$ 20,00


sábado, 24 de setembro de 2016

#SetembroAmarelo: Somos programados pra cair?

OI OI OI,

Vocês certamente já ouviram falar do Setembro Amarelo, né? O post de hoje é para levantar a bandeira dessa campanha tão importante. Falar é a melhor solução!

Trouxe para vocês a imagem abaixo com um trecho da música Amianto, da banda Supercombo. Particularmente, acho a letra dessa música maravilhosa, porque mostra que as pessoas com pensamentos suicidas, muitas vezes, só precisam ser ouvidas.

~ Confiram o clipe oficial aqui ~

Moço(a), sai da sacada...

Você é muito novo(a) pra brincar de morrer!

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações. O movimento acontece durante todo o mês de setembro em todo o mundo.
Fonte: site oficial da campanha

Eu só descobri essa campanha agora em 2016, mas no ano passado eu li um livro que trata a questão do suicídio de uma forma bem impactante e achei válido fazer esse link. 


Sinopse

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Confiram a resenha completa clicando aqui.

O mundo precisa de mais EMPATIA. Repassem!



sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Trechos marcantes de "O Quinze"

Olá, mergulhadores!

O post de hoje é um especial com frases do livro O Quinze, da escritora cearense Rachel de Queiroz. A obra, que retrata a terrível seca de 1915 no estado do Ceará, é um dos maiores clássicos da nossa literatura. Espero que gostem dos trechos que eu escolhi. Acompanhem!

(cliquem nas imagens para ampliá-las)




quarta-feira, 7 de setembro de 2016

24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

      
Eu, todo empolgado, ostentando 
as sacolinhas legais das editoras
Olá, mergulhadores!

Hoje a postagem é sobre a 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Aproveitei que estava na capital paulista para participar de um evento acadêmico e não me perdoaria se deixasse escapar essa chance. Consegui pegar só o último dia, mas foi uma experiência maravilhosa. Quase enlouqueci no meio de tantos livros.

Gente, eu confesso que não “forrei a carteira” como gostaria. Mesmo assim, deu para comprar obras interessantes, a preços bem acessíveis. Minha intenção era comprar livros sobre comunicação/jornalismo – que geralmente são muito caros –, então foquei nesta área. 

Meu investimento foi de R$ 82,50 (sete livros totalizando R$ 70,00 + R$ 12,50 da meia entrada). Em outro post, vou mostrar os títulos para vocês.


Aquele momento em que você ama ser estudante
Eu  e minhas amigas inventamos de comprar os ingressos na hora. Já tínhamos sido alertados que não era uma boa ideia, mas resolvemos arriscar. Apesar da fila imensa, até que foi rápido. Entramos por volta das 14h e ficamos umas três horas “batendo perna” por lá (risos).

Outra dica que recebemos era relacionada aos preços das comidas. Disseram que seria melhor levar algum lanche na bolsa/mochila, porque lá era tudo muito caro. Nossa sorte foi que a empolgação com os livros tirou nossa atenção da fome. Não sentimos falta de comida, então seguimos firmes e fortes.


ALÉM DOS LIVROS...

Bate-papo sobre a cultura pernambucana
"Pernambuco sempre teve uma posição de destaque nas artes e na cultura do país, inclusive com grande protagonismo nas letras e escritas pelas vozes daqueles que retrataram suas histórias, projetaram suas tradições e ecoaram suas musicalidades de diversas formas e ritos como na própria literatura, música, cinema e dança.

E parte dessa seara esteve presente em São Paulo, entre 26 de agosto e 04 de setembro de 2016, através do projeto pioneiro “PERNAMBUCO CONTINENTE IMAGINÁRIO – A Literatura de Pernambuco na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2016”.

A iniciativa nasceu da vontade de fortalecer o protagonismo da literatura do estado em um palco nacional e se tornou um sucesso de adesão, contando com vários artistas pernambucanos.

PERNAMBUCO CONTINENTE IMAGINÁRIO é um projeto ousado e corajoso onde a Bienal do Livro - Pernambuco esteve lá na Bienal do Livro SP, numa parceria com a Editora Cubzac, fortalecendo a nossa cultura e nossos artistas."

(Texto adaptado da descrição da página do projeto no Facebook).

Os amantes de poesia também tiveram um cantinho especial no evento

Pessoal, o post de hoje foi só para mostrar um pouco do que eu vi lá no último dia da Bienal. Como eu já falei, vou fazer outra postagem sobre os livros que comprei. Espero que tenham gostado. Abraços!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

#Resenha: "Meus pensamentos pra você"


Título: Meus pensamentos pra você

Autor: Francisco Fagundes

Ano de lançamento: 2010

Editora: Smashwords

Nº de páginas: 57



quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Rio 2016: Vôlei feminino de Camarões fez história!

Esporte em Camarões. Qual é a primeira coisa que vem à sua mente? Se você é mais ou menos antenado ao mundo esportivo, talvez tenha pensado no jogador de futebol Samuel Eto'o, ídolo nascido no país africano. No entanto, hoje estou aqui para falar sobre a seleção camaronesa de voleibol feminino, que é bem menos popular e não tem tradição em grandes competições internacionais.

Está achando o post muito aleatório? É, pode ser. Cá estou, assim mesmo, porque fiquei pensando nesta publicação desde que assisti a um jogo da equipe de Camarões nos jogos olímpicos Rio 2016. Motivo? O brilho que o time demonstrou em quadra, mesmo com várias limitações técnicas; a vontade de vencer; o nítido orgulho de representar seu país pela primeira vez numa olimpíada; e até o estilo das jogadoras também (por que não?). Consegui enxergar tudo isso assistindo somente a uma partida delas.

Foto: Divulgação/Federação Camaronesa de Vôlei

A foto acima mostra a dura realidade do campeonato local em Camarões. O país só tem uma quadra poliesportiva para a prática do vôlei, que fica na capital Iaundé. Então, muitas vezes, os jogos são realizados a céu aberto, em locais improvisados.

A seleção camaronesa é quase amadora. Das 12 atletas convocadas para as olimpíadas do Rio, apenas cinco são profissionais. Apesar de toda essa carência, o time veio representar seu país após conquistar uma vaga no Pré-Olímpico africano, batendo a seleção do Egito na final. Por aqui, elas não tiveram vida fácil. Enfrentaram o Brasil logo na estreia, perdendo de 3 sets a 0, mesmo placar do Mundial 2014, quando as duas equipes também se enfrentaram na primeira fase.

Camarões foi o saco de pancadas do torneio feminino de vôlei na Rio 2016. Caiu no grupo A, que tinha Brasil, Rússia, Japão, Coréia do Sul e Argentina. Foram cinco confrontos e cinco derrotas. Estreante em olimpíadas, o time conquistou somente um ponto na fase classificatória. Só não passou em branco” porque perdeu um dos jogos por 3 sets a 2, garantindo esse pontinho de honra (com esse placar, o vencedor leva dois pontos e o perdedor leva um).

Foto: Divulgação/FIVB

Foi justamente a partida que eu acompanhei do início ao fim. Um dia histórico para Camarões e também para a Argentina, outra estreante em jogos olímpicos. Ambas já tinham perdido três jogos cada uma, sem ganhar nenhum set. Como diziam os comentaristas da partida durante a transmissão: a história estava sendo escrita naquele momento.

A equipe sul-americana, um pouco mais experiente, conseguiu vencer a partida no tie-break. Devo confessar que torci desde o primeiro até o último ponto pelo time africano. As atletas empolgaram o público no Maracanãzinho mostrando muita disposição e alegria dentro de quadra. 

Algo que chamou atenção no torneio foi a forma como elas comemoravam os pontos de bloqueio (ver foto abaixo). O gesto foi inspirado na seleção masculina, que costumava fazer isso. As meninas gostaram e decidiram adotar nas partidas. Movimento igual ao do mito do atletismo, o jamaicano Usain Bolt. 

Foto: Reuters
Então é isso. Resolvi fazer esse post porque gostei muito da maneira como a seleção camaronesa de vôlei feminino se apresentou nas olimpíadas do Rio. Foi um exemplo de superação, garra, determinação, força de vontade, simpatia... Mostraram que o mais importante não é a medalha de ouro. Aplausos!


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Olhares apaixonados - Um breve estudo sobre os olhares

Título: Olhares apaixonados - Um breve estudo sobre os olhares

Autor: Pascale

Lançamento: 11/07/16

Editora: ***

Nº de páginas: 7


Olá, mergulhadores!

O post de hoje é sobre um conto publicado em e-book. Eu o encontrei na internet por acaso, quando cheguei ao blog do Ademir Pascale, escritor que já participou em mais de 40 livros, além de ser editor da Revista Conexão Literatura.

Publicado pela Fábrica de E-books, o conto Olhares apaixonados – Um breve estudo sobre os olhares tem apenas sete páginas. A história traz um jovem chamado Fred, de 19 anos, que é obcecado por olhares, tanto que tem até uma caderneta para anotações e desenhos, que são muito úteis em seus “estudos”.

Fred se apaixona à primeira vista por Mariana, uma estudante de Educação Física que namora um estudante de Direito, que tem pinta de galã, é rico, folgado e autoritário. Do outro lado do balcão, Fred trabalha em uma lanchonete da faculdade e não é lá um cara tão atraente assim.

Num certo dia, o olhar de Mariana para Fred estava diferente, mesmo que estivesse na presença do namorado dela. Ele estudou bastante e tentou achar uma explicação para aquilo tudo, tendo uma grande surpresa.

Como eu falei, a história é bem curtinha: sete páginas, contando com capa e tudo. Eu esperava muito mais, principalmente pelo currículo extenso do autor Pascale. A temática me parecia bem profunda, mas o desenvolvimento da narrativa ficou bem raso. Além disso, o próprio texto é decepcionante. Achei imaturo e, mesmo em tão poucas páginas, encontrei alguns erros graves de português.

Valeu pela iniciativa de disponibilizar o conto gratuitamente na internet, que é uma ferramenta muito importante para qualquer escritor que quer mostrar seu trabalho. Até a próxima!

PARA LER O E-BOOK, CLIQUE AQUI.