quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Entrevista com Alma Cervantes

Olá, mergulhadores!

Hoje o blog traz uma entrevista com o autor Alma Cervantes, nosso parceiro. Espero que gostem!

Nome completo – Alma Cervantes  

Data de nascimento – 26/07/1993

Naturalidade – Santos-SP

Grau de formação – Ensino médio completo

Profissão – Escritor



Mergulhando Na Leitura: De forma resumida, quem é Alma Cervantes?
Alma Cervantes: Uma alma que funciona à base de papel e caneta.

MNL: Quando foi que você percebeu que levava jeito com a arte da escrita?
AC: Por mais estranho que pareça, só depois de começar a escrever.

MNL: Quais são os autores que inspiram o seu trabalho? Até que ponto eles influenciam na sua maneira de escrever?
AC: Se tiver que escolher, Agatha Christie e Ryukishi07 (assinatura de um artista japonês nascido na Província de Chiba) foram minhas principais inspirações. Não sei dizer exatamente no que influenciam...

MNL: O que você sentiu quando viu o seu primeiro livro impresso?
AC: Não sei explicar bem, mas foi certamente uma experiência diferente ver a história que escrevi em livro e na minha frente. 

MNL: Quais foram os obstáculos que você enfrentou até publicar o livro?
AC: Escrever o livro foi bastante complicado por toda a lógica envolvida no policial. Encontrar editora não é fácil, e divulgação também é um trabalho complicado... Bem, não sei se tem algum ponto muito fácil.

"Uma experiência diferente ver a história que escrevi em livro e na minha frente", diz o autor

MNL: Hoje, você considera os brasileiros mais receptivos à literatura nacional?
AC: Com certeza. A literatura nacional contemporânea tem crescido muito e com muitos ótimos autores dos mais variados gêneros por aí, e os leitores também têm dado mais atenção a eles! Muito se deve à paixão dos blogueiros no que fazem.

MNL: Em “Se arrependimento matasse”, o personagem Alice vive algumas situações constrangedoras por ter este nome. Por que você abordou isso no seu livro?
AC: Essa era a personagem. Eu apenas contei a história como ela era.

MNL: Seu livro traz um enredo policial, mas também trata da questão do arrependimento. Na sua vida, você já se arrependeu de alguma coisa? De quê?
AC: Não tenho arrependimentos. É fato que já fiz coisas ruins e que não faria novamente, mas eu só sou eu por 100% das coisas que fiz até hoje. Acho que dá para dizer que eu carrego os arrependimentos comigo e trato de não os esquecer para não repetir os erros.

MNL: Você tem algum projeto na gaveta? Está trabalhando em um novo livro?
AC: Sim, sim! Lancei recentemente uma aventura fantástica de título “Mestiços” em e-book pela Amazon (www.amazon.com.br/gp/product/B00R39MW02) e já trabalho na continuação. Além disso, tenho um livro de contos (policiais) em andamento já há bastante tempo, além de um mistério/suspense/terror finalizado em busca de publicação.

"Já trabalho na continuação", revela
Sinopse: 

Ariel sempre soube que era diferente, mas nunca havia pensado sobre sua natureza até esse dia. Guiado por um completo desconhecido, acaba em um armazém em parte isolada da cidade, onde conhece um garoto de personalidade perigosa chamado Miro.
Antes que se desse conta, um ataque repentino executado por dezenas de homens encapuzados obriga todos no lugar a correrem por suas vidas. Unido aos outros que encontra durante a fuga do armazém, Ariel sai em uma viagem com destino incerto que o levaria a compreender todos os mistérios em sua vida.
Era realmente possível que eles fossem lobisomens? E quem eram os homens mascarados que atacaram subitamente o armazém repleto de pessoas sem-teto? 



MNL: Eu gostaria de agradecer pela entrevista e de pedir que deixe uma mensagem aos leitores do “Mergulhando Na Leitura”.
AC: Quero agradecer pela atenção e pelo espaço. Peço que deem uma chance ao Se Arrependimento Matasse (resenha aqui) mesmo quem não seja fã de policial, e isso igualmente para o livro Mestiços (mesmo quem não é fã de aventura)! Cada história é uma história, com personagens, escrita, abordagem, foco, emoções e profundidade diferentes.


Mergulho Rápido


MNL: Uma palavra... 
AC: Interpretação!
MNL: Alguém especial... 
AC: Nora!
MNL: Um lugar... 
AC: Minha casa!
MNL: Um livro... 
AC: Não é um livro (é uma sound/visual novel), mas: Umineko no Naku Koro ni!
MNL: Uma comida... 
AC: Chá preto. Se não vale bebida, então cachorro-quente (risos)!
MNL: Um sonho... 
AC: Conseguir contar todas as histórias que tenho para contar!
MNL: Uma música... 
AC: Hope – Dai!
MNL: Deus... 
AC: Deus?!




quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

#Resenha: "72 Horas para Morrer"


Título: 72 Horas para Morrer

Autor: Ricardo Ragazzo

Ano de lançamento: 2014*

Editora: Novo Século

Nº de páginas: 228



quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Tag Literária - Meu Óculos

Olá, mergulhadores!
Hoje eu venho mostrar a vocês uma tag literária inspirada no vídeo da “Juliana” (clique aqui), que tem feito bastante sucesso. Já existe outra tag sobre esse mesmo vídeo, mas eu resolvi fazer a minha do meu jeito. Vamos lá? Meu post, ninguém sai!


Como funciona:

Relacionar as falas do vídeo com o universo literário. Em seguida, o blogueiro terá que escolher os livros de acordo com o que está sendo proposto.


1 – “Ei, coisinha” 


Coisinha é uma palavra usada quando não sabemos ou nos esquecemos do nome de alguém. Escolha um livro que você leu, mas não se lembra de quase nada a respeito da história.

Nunca citei este livro aqui no blog.



2 – “Vá devagar, viu?!” 


Alguns livros têm um ritmo tão eletrizante, que até ficamos sem fôlego. Por vezes, precisamos de um tempo para absorver tanta informação nova. Escolha um livro que você sentiu vontade de "ter um freio".

Livro ligado no 220 volts. Clique aqui para ler a resenha.



3 – “Eu vou me segurar aqui” 


Estamos lendo um livro e a história toma um rumo que nos faz sentir vontade de entrar na trama e interferir. Escolha um livro que te deixou impaciente e que foi preciso você se “segurar” durante a leitura.

Eu queria barrar o desastre do alfabeto. Leia a resenha aqui



4 – “Se eu cair, eu quebro minha clavícula” 


Sabe aquela paranoia de que algo ruim está para acontecer? Existem pessoas que extrapolam e praticamente vivem em função disso. Escolha um livro que contenha um personagem bem paranoico.

Katie desconfiava da própria sombra. Resenha aqui.


5 – “Meu óculos. Ninguém sai!” 


Gente que só olha para o próprio umbigo tem em todo lugar. O mundo pode estar desabando, mas a pessoa nem liga para os outros, só pensa em si mesma. Escolha um livro com um personagem egoísta.

Madalena é um poço de egoísmo. Resenha aqui.



6 – “Juliana tá desmaiada”


Aturar gente sem graça é um desafio. Quando o personagem é mosca morta, geralmente a leitura fica um saco. Não tem reviravolta que dê jeito. Escolha um livro com um personagem tedioso, quase desmaiado.

Ben é um sonífero poderoso. Clique aqui para ler a resenha.

7 – “Chama o Chamu [Samu]”


Acabamos nos envolvendo com algumas histórias e nos colocando no lugar dos personagens. Escolha um livro trágico, que te fez sentir vontade de chamar o Samu para ajudar. 

O Samu trabalharia bastante. Especial (parte 1 - parte 2 - final)



8 – “Eu errei, viu?!” 

Seria possível descobrir o que vai acontecer no futuro? O leitor geralmente fica tentando adivinhar quais os próximos passos dos personagens, mas nem sempre é fácil. Escolha um livro cujo desfecho você errou completamente.

Final inesperado. Clique aqui para ler a resenha.