quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

#Resenha: "Meu irmão, meu herói"

Título: Meu irmão, meu herói

Autor: Edson Kazienko do Carmo

Ano de lançamento: 2016

Editora: Multifoco

Nº de páginas: 198


# A história

"Façam do amor uma lição de vida".

Estefano e Alexandre são dois irmãos que ficaram órfãos na Segunda Guerra Mundial quando Hitler invadiu a Polônia e destruiu milhares de famílias. Movidos pela esperança e pela inocência, eles vão à procura de um tio que vive em uma cidade que fica a mais de 400 quilômetros de onde eles estão.

Os irmãos encontram pelo caminho algumas pessoas que tentam ajudá-los ou machucá-los. No fim das contas, o que seria uma longa jornada para encontrar um parente distante, acaba se transformando em uma luta pela sobrevivência.

# Opinião

O prefácio da obra situa os leitores. O autor faz um resumo sobre as atrocidades da Segunda Guerra para contextualizar e encorpar a trama. Além disso, Kazienko pontua questões muito interessantes como a importância do amor e da família, principalmente nos momentos de dificuldades.

A história é narrada em primeira pessoa pelo velho e sofrido Alexandre Kamarks. Apesar de não se lembrar das atividades que realiza corriqueiramente, o personagem tem recordações muito nítidas sobre os horrores da guerra. Cheguei a levantar a hipótese de que ele sofre de Alzheimer, pois ter essas lembranças do passado é uma das características da doença.

Durante uma reunião familiar, ele resolve abrir o jogo com todos. A plateia é formada pela esposa, filhos e netos. Vocês se lembram do filme Titanic? É um flashback bem parecido com aquele. A volta do protagonista à infância preenche todo o livro.

Acredito que o resultado seria mais interessante se o autor tivesse intercalado a narrativa do passado com a do presente, até para dar uma função aos parentes do personagem principal, que só foram citados no início e no fim do livro. Assim, o leitor também acompanharia as reações deles com o que estavam ouvindo. Acho que isso tornaria o relato mais humanizado e emocionante.

De modo geral, o clima da história é bem pesado. No entanto, Kazienko soube trilhar um caminho para quebrar um pouco a densidade do livro. Os dois irmãos sofrem muito durante a saga para encontrar o tio, mas também encontram pelo caminho pessoas acolhedoras. Em alguns momentos, é possível esquecer aquele contexto de guerra e embarcar nas aventuras dos personagens.

O ritmo do livro também é algo que vale a pena destacar. O autor traz muita história. Que adrenalina! Outro ponto positivo é a divisão dos capítulos. É que eles têm vida própria, ou seja, apresentam início, meio e fim, delimitando os acontecimentos que formam o todo da obra. Isso facilita bastante a vida do leitor, que pode dividir a leitura em blocos para absorver a história aos poucos.

Agora, vamos falar sobre os aspectos negativos. Primeiramente, o livro merece uma revisão, pois há erros graves de português. Além disso, o texto tem frases e parágrafos muito longos e o autor abusa das vírgulas  eu sou apaixonado por ponto final e orações curtas, pois fazem a leitura fluir melhor.

No mais, achei o mergulho maravilhoso. Deem uma chance ao livro de Kazienko e à literatura nacional. Até a próxima!


2 comentários:

  1. Gostei da dica Ygo. Aprecio tramas que retratem a Segunda Guerra Mundial, mas é uma pena que a revisão do livro tenha deixado a desejar. Abraço!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vanessa.
      Eu recomendo a leitura. Só precisa mesmo de uma revisão para deixar o livro mais redondinho. Abraço!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.