domingo, 19 de outubro de 2014

#Resenha: "Morte no Litoral"

Título: Morte no Litoral

Autor(a): Nádia São Paulo

Ano de lançamento: 2009

Editora: Novo Século

Nº de páginas: 192



# A história

O livro conta a história de Olívia, uma garota solitária que vinha de uma família desestruturada. Depois de boatos na escola, os pais dela, que já não a tratavam bem, passaram a rejeitá-la ainda mais. Com apenas treze anos de idade, ela fugiu de casa e passou cerca de um ano morando na rua.

Foi naquelas condições que conheceu Madalena, uma mulher misteriosa que lhe ofereceu ajuda e um futuro promissor, em troca de “alguns favores”, que seriam revelados quando fosse preciso. Olívia hesitou no primeiro momento, uma vez que, na rua, acostumou-se a desconfiar de tudo e de todos. Porém, como não tinha mais nada a perder, aceitou a proposta.

Madalena percebeu o potencial de Olívia e a importância da mesma na execução de seus planos. Por isso, resolveu investir na nova “afilhada”. Olívia cresceu, aprendeu vários idiomas, formou-se em engenharia civil e logo conseguiu emprego em uma das maiores construtoras do país. Àquela altura, ela já sabia o quanto Madalena poderia ser perigosa. Após tantos anos, era hora de pagar a dívida, nem que fosse por meio de derramamento de sangue.

# Opinião

Alimentei expectativas antes da leitura. A capa preta me induziu a esperar uma trama sombria, com mistério e sangue. O primeiro capítulo cumpriu esse papel. A autora começou a história no auge da adrenalina, com uma cena bem dramática. No segundo capítulo, há uma volta ao passado e a protagonista é apresentada, com ênfase em todos os seus traumas.

Senti dificuldade para visualizar determinadas cenas. Inicialmente, achei os diálogos muito superficiais, por causa da formalidade. O distanciamento entre as conversas no livro e a nossa forma de falar no cotidiano, acabou engessando os personagens. Algumas vezes, até pareciam robôs.

Com o desenvolvimento da trama, essa má impressão perdeu força e eu me acostumei com a escrita da autora. Porém, outro ponto passou a me incomodar: a barriga que se instalou na história. A rotina de Madalena e de sua afilhada, Olívia, se desgastou. Aquele ritmo eletrizante do primeiro capítulo se perdeu no decorrer das páginas. Achei que demorou muito a acontecer algo que me fisgasse de novo.

Felizmente, uma reviravolta salvou o livro. A retomada ao presente trouxe o gás necessário. Vieram à tona assassinatos, segredos e disputas pelo poder. Surgiu também a figura do inspetor Xavier, com as características clássicas do bom investigador dos romances policiais. A leitura ficou ótima com o ápice dos mistérios. A cada página, algo intrigante acontecia e eu ansiava por mais.

Os conflitos que se desenrolaram apenas na segunda metade do livro, poderiam ter tido um espaço maior, com os desdobramentos explorados mais detalhadamente. O final da obra me agradou, pois conseguiu me surpreender. Achei o desfecho inusitado e inteligente. Apesar dos pontos negativos que mencionei, é um livro que eu recomendo.

# Extra

A autora Nádia São Paulo é parceira do blog. Para saber mais, clique aqui. Obrigado! 



2 comentários:

  1. Ygo forte abraço, obrigado pelo apreço, obrigado pelo seu olhar...obrigado pela amizade...oro por você...fico feliz em te-lo como amigo...seu tempo em observar meus poemas ensaios, eu os chamo de Poemas ensaios" não sei se já existe este neologismo para classificar meus textos, o que você acha?... Sucesso em seus estudos, seu blog está muito bonito... Suas resenhas ótimas... Estou atento! A Paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aguiar.
      Eu adoro acompanhar seus textos também. Nunca ouvi falar do termo 'poemas ensaios', mas certamente você tem o dom de usar as palavras. Obrigado pela atenção e pelos elogios.
      Forte abraço!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.