quarta-feira, 28 de maio de 2014

[Mergulhei Fundo] - À meia-luz

Título: À meia-luz
Autor(a): Denise Medeiros
Editora: (Independente)
Ano: 2014
Nº de páginas: 46 


“Sentimentos indizíveis sustentam-se na memória de um quarto mal iluminado”.

O livro “À meia-luz” é um verdadeiro presente de Denise Medeiros aos amantes da boa poesia. Nos agradecimentos, ela menciona o fato de seu livro ser caseiro e amador. Mas depois que mergulhei na sensibilidade de seus versos, fiz a mim mesmo a seguinte pergunta: livro amador?

O processo de publicação pode ter funcionado assim, mas o amadorismo se resume a este detalhe. Quanto ao conteúdo da obra, a palavra profissional é a mais adequada. Neste aspecto, o título se torna irônico, uma vez que a escrita da autora brilha. Ofusca!

Eu senti cada palavra do livro. Uma poesia precisa ser lida e sentida, por isso é fundamental que o sentimento de quem escreve reflita nos versos. Posso dizer que Denise cumpriu este papel quando eu me vi entrelaçado à carga dramática que saltava das páginas.

Exemplar com dedicatória da autora
“No fim do dia, puxa-se uma cadeira, apaga-se a luz e coloca-se uma música triste. É o momento de aparar as dores e mastigar o amargo da vida”.

Em uma conversa informal antes da compra do livro, perguntei a autora a respeito do estilo empregado em suas poesias, pois achava que a mesma escrevia cordéis. Foi então que ela respondeu: “Tive total licença poética”. Esta liberdade caminhou lado a lado com um vocabulário rico, trazendo ao leitor um leque de versos profundos.

O poeta utiliza a dor como inspiração artística. Foi exatamente esta sensação que a autora transmitiu em seu livro. Ela derramou lágrimas nas entrelinhas e eu me tornei seu cúmplice. Como leitor, confesso que me senti muito bem na condição de “Muro das Lamentações”.

5 comentários:

  1. Olá Ygo Maia,
    a sua crítica está fantástica, mais uma vez me deliciei com a sua escrita.

    Beijos
    thatstory1.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bastos.
      Fico feliz que tenha gostado. Beijos!

      Excluir
  2. Olá, passei só para dizer que acrescentei mais um excerto - a continuação do capítulo I. Dê uma espreitadela :)

    Beijos
    thatstory1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adorei a sua resenha! Você escreve muito bem! Fiquei com vontade de ler o livro.
    O livro de poesias que eu mais gosto é Uivo ( Howl ) do Allen Ginsberg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luiz Carlos.
      Muito obrigado pelo elogio. Eu não conheço esse livro que você citou, vou procurar me informar sobre ele.
      Volte sempre!
      Abraço!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.