domingo, 23 de agosto de 2015

[Mergulhei Fundo] - O que aprendi com Bruna Surfistinha

Título: O que aprendi com Bruna Surfistinha

Autor(a): Bruna Surfistinha (Raquel Pacheco)

Editora: Panda Books

Ano: 2006

N° de páginas: 254




Sei que tenho minha opinião, minhas convicções, mas não posso esperar que todo mundo veja o mundo sob minha ótica. Pode parecer bobo, dizendo assim, mas agora sei que essa tomada de consciência é um rito de passagem indispensável para quem queria crescer, como eu”.

Raquel Pacheco mostra agora o que aprendeu com Bruna Surfistinha.

No livro que dá sequência ao best-seller O doce veneno do escorpião, a ex-garota de programa revela muito mais do que as lições de uma vida nada fácil. Narra também, sem pudores, algumas histórias envolvendo famosos, como os apresentadores da RedeTV!, João Kléber e Luciana Gimenez, que exploraram o caso Bruna Surfistinha até as últimas consequências, trazendo uma série de constrangimentos a ela e a seus familiares.

Aliás, a imprensa sensacionalista tem um grande destaque nesse livro. A autora denuncia as jogadas – que não foram poucas – da mídia para conseguir alguns pontos a mais de audiência. Chegaram ao ponto, inclusive, de prejudicar a tentativa de Raquel de se reaproximar dos pais depois de anos de rompimento.

Todas as vezes em que fui atacada, recebi inúmeras mensagens de apoio de leitores. Acredito que a apresentadora [Luciana Gimenez] tenha sofrido tanto quanto eu pelas notícias que foram publicadas a seu respeito. A Bruna Surfistinha me ensinou a nunca julgar ninguém, portanto, tire você mesmo as suas conclusões”.

Ela explica que foi tratada pela imprensa como uma “destruidora de lares” quando se casou com o João Paulo. Na época, o romance deles sofreu bastante com o julgamento das pessoas. Muito se questionou o fato de um homem ter largado um casamento para viver com uma garota de programa. Nessa parte da obra, Raquel dá sua versão desses acontecimentos e conta também os momentos difíceis que teve de encarar por causa do preconceito da sociedade.

Se ela não fosse uma garota de programa, será que a opinião das pessoas teria sido diferente?

Ninguém sabe o dia de amanhã. Mas podem acreditar: voltar para a prostituição seria a última alternativa – e não a primeira, como aconteceu aos 17 anos”.

O livro tem suas partes picantes – assim como em O doce veneno do escorpião. Algumas histórias até são repetidas, no entanto, o foco principal é mesmo a questão do amadurecimento de Raquel Pacheco a partir da experiência como garota de programa.

Foi um mergulho rápido e agradável. Apesar de a obra ser considerada uma continuação, não há prejuízo algum se você ainda não tiver lido o primeiro livro. Mesmo assim, recomendo que o leiam (clique aqui), pois nele fica mais clara toda a trajetória da autora.


2 comentários:

  1. Como você falou...temos as nossas convicções mas nada nos impede de ler observar e tirar as nossas conclusões, Nosso dia a dia e um revista. Temos notícias e acontecimentos que são marcantes pelo lado negativo como pelo positivo. Tudo em nossas vidas nos leva a um aprendizado...ler nos traz conhecimento, nos faz refletir... e como precisamos pensar e repensar para uma tomada de decisão. parabéns pela suas resenhas eu á leio. Forte abraço meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, Aguiar.
      Precisamos filtrar as coisas que lemos e tirar nossas próprias conclusões.
      Abraço!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.