domingo, 29 de março de 2015

#Resenha: "Por que Eu?"

Título: Por que Eu?

Autor(a): Sinélia Peixoto

Ano de lançamento: 2015

Editora: Chiado

Nº de páginas: 496


# A história

Por que Eu? é o pontapé inicial da Trilogia do Eu.

O romance é narrado em primeira pessoa. Desta forma, embarcamos na vida da protagonista Elizabeth, uma brasiliense de 28 anos. A história se passa no começo de 2013, ano em que Beth está disposta a dar uma guinada na vida.

A busca por um futuro melhor tem início já no réveillon. O lugar? Porto Seguro. Um grupo de amigas quer marcar a chegada de um novo ano com muita bebida e diversão. Beth está entre elas, mas, no fundo, não consegue se entregar. Está sozinha há quatro anos e, ao contrário de suas amigas, não vai para a cama com qualquer um.

Beth conhece o advogado Antônio, também de Brasília, e eles engatam um romance ao voltarem para a capital do país. Ela pede demissão para se dedicar a concursos e se casa com Antônio. Então vêm os filhos, as dificuldades, os desafios da vida a dois e a busca pela satisfação sexual e profissional.

# Opinião

Sinélia Peixoto já inicia seu romance incendiando as páginas. Logo de cara, entramos na intimidade da protagonista, que nos revela detalhadamente um sonho erótico. Nada de formalidade na maneira de apresentar Elizabeth ao leitor. Primeiro veio o prazer (literalmente), depois, a satisfação.

Os ânimos se acalmam e percebemos uma personagem diferente da que se mostrou no início. Beth é uma mulher insegura e até um tanto neurótica. Por vezes, é fácil pensar que ela tem depressão. Uma mulher que pensa demais, que analisa demais e que age de menos.

Beth é uma mulher comum, que poderia ser a minha vizinha ou a sua. Ela gosta de ler, filosofar e ouvir música. O livro é cheio de citações de autores como Paulo Coelho e Confúcio; trechos de músicas de Lulu Santos, Roberto Carlos e Fábio Júnior, entre outros, devidamente referenciados nas notas de rodapé.

A autora optou pelo vocabulário simples, usando gírias e expressões populares no Brasil. A narrativa apresenta também algumas quebras de foco. Em um momento, o leitor acompanha a tórrida relação de Beth e Antônio, com diálogos picantes e muito sexo. Em outro, Beth se torna uma psicóloga das amigas. O que fica evidente é que os problemas alheios sempre são mais fáceis de resolver, porque ela aconselha todo mundo, é sábia ao extremo, mas quando é o sapato dela que aperta, o mundo cai.

As análises de Beth com relação a tudo ficaram desgastantes. Ela tenta passar uma imagem de mulher forte, que quer trabalhar e ser independente, mas eu a vi como uma pessoa que não definiu ainda um rumo na vida.

Outra coisa que me incomodou foi o teor das conversas do casal. Quando eles se conhecem, é normal que a paixão avassaladora tenha obrigado a autora a criar diálogos mais românticos, com declarações de amor que marcam o início de um relacionamento. Porém, Beth e Antônio continuaram assim depois de anos de casados.

“Eu te amo” e todas as variações desta frase se repetiram exaustivamente. Talvez a intenção da autora tenha sido mostrar o brilho do começo do casamento e, nos próximos livros da trilogia, focar nos “contras”. O problema foi que, apesar de uns pequenos conflitos, o relacionamento de Beth e Antônio ficou perfeitinho demais.

Minha última crítica é relacionada ao tamanho dos diálogos, que contribuiu para que o livro tenha chegado a quase 500 páginas. Além disso, faltou descrever as ações enquanto os personagens falavam. Um diálogo fica muito mais convincente se o leitor conseguir visualizar a expressão do personagem, os movimentos que ele faz, entre outras coisas. Isso também ajuda a dar uma quebra nas falas. Se o livro não tivesse essas conversas enormes e se o casal não ficasse toda hora se declarando, o número de páginas poderia ter sido consideravelmente menor.

O mergulho durou uma semana e o saldo foi positivo. Fica a recomendação!

# Extra

Uma coisa que não ficou clara para mim, foi a relação entre a capa, o título e a história. No mais, quero acompanhar a continuação para saber o que vai acontecer com Beth e Antônio. A autora deixou um bom gancho no final.

Sinélia Peixoto é parceira do blog. Se quiser saber mais, clique aqui.



4 comentários:

  1. Obrigada pela resenha. Sim, Beth é neurótica como a maioria das mulheres, pensamos em 20 coisas ao mesmo tempo e no livro isso fica bem à mostra. Gostei quando falou que o relacionamento deles é perfeitinho demais, porque é por isso que temos que ler o Por Que Não Eu?, pra poder entender o que essa perfeição significa e talvez como considerar e fazer com que nossa vida seja mais perfeita. Beth está perdida e tentando se encontrar e esperamos profundamente que ela se ache até o livro 3. Obrigada por tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!!
      É uma honra ter o seu comentário aqui. Desejo muito sucesso com a trilogia. Quero continuar acompanhando. Eu que agradeço.
      Beijos!

      Excluir
  2. Que legal.
    Quero ler mais livros de autores Brasileiros, e esse parece ser interessante!
    Gosto muito das suas resenhas!

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      A literatura nacional tem crescido cada vez mais. É um prazer poder divulgar aqui no blog.
      Que bom que gosta das resenhas. Continue mergulhando!
      Beijos!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.