domingo, 17 de maio de 2015

#Resenha: "A Estrada da Noite"

Título: A Estrada da Noite

Autor: Joe Hill

Ano de lançamento: 2007

Editora: Arqueiro

Nº de páginas: 256


# A história

O cinquentão Judas Coyne é uma lenda do rock pesado, que gosta de colecionar objetos macabros. Quando ele fica sabendo de um estranho leilão na internet, não pensa muito antes de fazer uma oferta.

Jude estava interessado em aumentar sua coleção peculiar, que já contava com um laço usado em um enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás e até um livro de receitas canibais. Pelo lance mais alto no leilão, o comprador levaria um fantasma para casa.

Fantasmas não causavam medo no roqueiro, que ao longo da vida já estava às voltas com os seus próprios: mulheres que usou e descartou quando viajava em turnês, os colegas de banda que traiu e, principalmente, o pai violento. Agora, mais um chegava em sua vida, através de um paletó adquirido por 1.000 dólares.

Tudo muda quando esse paletó é entregue na casa de Jude em uma caixa preta em forma de coração. Não se tratava mais da presença de um fantasma imaginário ou de fantasmas no sentido figurado. O roqueiro estava diante de um perigo real. O morto era Craddock McDermott, padrasto de uma fã que cometeu suicídio após Jude tê-la abandonado.

Desesperado, Jude faz as malas e cai na estrada da noite com sua namorada para se salvar da perseguição implacável de um fantasma com sede de vingança.

# Opinião

Essa foi uma leitura diferente de todas que fiz até hoje. Não parecia que eu tinha um livro em mãos, mas sim um roteiro de um filme ou série de terror. Roteiro com poucas falas, vale ressaltar, e com muitos detalhes que pudessem orientar e facilitar o trabalho da direção (ou dos leitores), a fim de que nada fugisse da ideia central planejada por Joe Hill.

É assim que o livro se desenvolve. A narrativa é ágil e precisa, capaz de nos transportar para dentro da história e de instigar a nossa imaginação. Os diálogos só aparecem quando se faz necessário. O universo de tensão psicológica deriva da capacidade ímpar que o autor demonstrou de descrever pormenores, ações, cenários e estado emocional dos personagens.

Gostei do protagonista Jude, apesar de ele ser meio estereotipado e um tanto grosso. Os gostos dele são peculiares e ele já demonstrava isso desde pequeno. Certa vez, ao comer um bombom de cereja, imaginou que estava mastigando um olho com cobertura de chocolate. Bizarro, não?

Jude viajava muito e sempre se envolvia com várias mulheres por onde passava. Ele acabava não chamando as moças pelo nome, e sim pelo nome do estado em que as conhecia. A atual namorada dele é a Geórgia, uma personagem que me deixou dividido. Se por um lado eu a achei chata, por ela ficar perguntando bobagens a Jude, por outro, senti pena, porque o roqueiro era frio demais com ela.

Outro ponto interessante são os cachorros do protagonista, que se tornam figuras importantes no enredo. Eles são como os guardiões de Jude e Geórgia. A trama mostra esse aspecto curioso a respeito da sensibilidade espiritual dos cachorros. Eu acredito nisso. E vocês?

Mergulho altamente recomendado.

# Extra

Foi durante a leitura desse livro, que tive a ideia de fazer o post “A volta dos que não foram”. Vocês podem conferir aqui.



2 comentários:

  1. Olá,
    Não gosto muito de ler esse tipo de livro, por isso não me interessei por essa obra. Mas gostei da resenha, já li um livro do pai desse autor e gostei muito.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Inês.
      Esse foi o primeiro livro nesse estilo que eu li e gostei bastante.
      Sou louco para ler algo do Stephen King também.
      Beijos! Volte sempre!!!

      Excluir

AGORA QUE VOCÊ JÁ MERGULHOU NA LEITURA, DEIXE O SEU COMENTÁRIO. ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O CRESCIMENTO DO BLOG. OBRIGADO!!!

Obs.: comentários ofensivos serão deletados.